Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

No Comments

Internet supera TV em faturamento publicitário pela primeira vez

Internet supera TV em faturamento publicitário pela primeira vez
Ricardo Anderáos

Pela primeira vez na história, os anunciantes investiram mais na internet do que na TV dos EUA. Os números foram divulgados ontem pelo IAB (Internet Advertising Bureau): em 2013 os investimentos em publicidade digital no país foram de US$ 42,8 bilhões, contra US$ 40,1 bilhões na televisão. O anúncio é um marco histórico, e deve acelerar ainda mais o processo de erosão do faturamento dos meios de comunicação tradicionais em todo o mundo.

Há anos especialistas questionam por que, a despeito da crescente presença dos meios digitais no cotidiano das pessoas, o investimento publicitário das empresas não reflete o mesmo movimento. Ano após ano, a fatia digital no bolo de investimento publicitário vem crescendo e superando segmentos como o de jornais e revistas. Até aqui, entretanto, a TV parecia resistir ao avanço da internet.

Os números divulgados ontem mostram que o jogo virou de vez. E, como o mercado de comunicação norte-americano é sempre um indicador de tendências que depois se globalizam, começa a contagem regressiva para a virada do mercado em outros países. O levantamento, elaborado pela consultoria PwC, mostra que, entre 2012 e 2013, o investimento em mídia digital nos EUA cresceu 17%.

O Brasil, por ora, ainda anda na contramão da história. Segundo dados do projeto Inter-Meios, entre 2012 e 2013, a fatia dos canais de TV abertos no bolo publicitário cresceu, passando de 64,7% para 66,5%. Fontes do mercado de mídia atribuem essa tendência à pressão da Rede Globo sobre agências e anunciantes. Mais surpreendente ainda, no mesmo período a internet sofreu queda de 5,6% no Brasil. Mas esses números não contabilizam a participação do Google e do Facebook, que vem crescendo fortemente. “O Inter-Meios só consegue medir cerca de 30% da publicidade digital”, diz Marcelo Lobianco, do IAB (Interactive Advertising Bureau) no Brasil.

(Publicado originalmente em meu blog no Brasil Post)